Araruna e região se liga aqui! - www.ivanfilmagempb.com
Publicado em:

Modelo desfila crucificada na parada do orgulho LGBT e é criticada

Os ícones religiosos presentes na 19ª Parada do Orgulho LGBT estenderam a discussão sobre tolerância e religião para além do dia do evento. A manifestação foi simbolizada principalmente pela modelo transexual Viviany Beleboni, que desfilou crucificada em cima de um trio elétrico no último domingo (7/6). "Representei todas as mortes e agressões que vêm acontecendo contra a classe LGBT", justifica Viviany por meio de redes sociais.


A modelo acredita ser esta a realidade vivida pela comunidade no país. O deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) criticou o ato, que classificou como "cristofobia", nas redes sociais. Já o diretor da Associação Brasileira de LGBTs no Centro Oeste, Evaldo Amorim, defendeu Viviany: "Infelizmente, não foi bem entendido". "Assim como Jesus foi crucificado e apedrejado, nós, LGBT, também somos -- por movimentos fundamentalistas religiosos que contaminaram o Congresso e assembleias legislativas", explica. Amorim acrescenta que o intuito foi provocar o debate e alertar sobre a violência que atinge pessoas homo, bi ou transexuais, além de travestis. Viviany relata em texto no Facebook que recebeu ameaças de morte após o desfile. O Brasil é o país onde mais ocorrem assassinatos de travestis e transexuais. As informações são da ONG Transgender Europe.

O jogador de futebol Léo Moura, atualmente do Fort Lauderdale Strikers, dos Estados Unidos, também criticou o ato. "Quem fez isso trate de pedir perdão a Jesus...", escreveu o ex-atleta rubro-negro. Ele afirma ainda que tem muitos amigos gays e que respeita a opção de cada um. Outros usuários das redes sociais usaram o espaço para defender a ação de Viviany.
Divulgação
Samira Wiley, Natasha Lyonne e Uzo Aduba (da esquerda para a direita)
A Parada do Orgulho LGBT reuniu 20 mil pessoas na Avenida Paulista, segundo estimativas da Polícia Militar. Com o tema "Eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim, respeitem-me!", o evento contou com a participação das atrizes Natasha Lyonne, Uzo Aduba e Samira Wiley, todas do seriado Orange is the new black. Valesca Popozuda, Marta e Eduardo Suplicy também estiveram presentes.


Com: Correio Braziliense

Por: Ivan Filmagem
how to make gifs
Share to Facebook Share to Twitter Share to LinkedinStumble It Share to Google Buzz Mais...

veja também

0 comentários em: "Modelo desfila crucificada na parada do orgulho LGBT e é criticada"

Deixe um comentário!

Publicidades:
Publicidade Publicidade

Últimas Notícias

Comentário

wwww.ivanfilmagempb.com - Todos os direitos reservados.