Notícias:
latest

728x90

468x60

Mulher de Brasília morre em clínica clandestina de reabilitação

Uma brasiliense de 35 anos morreu em uma clínica de reabilitação clandestina em Caldas Novas. A mulher estava trancada em um dos quartos e amarrada a uma cama. Outras internas disseram à Polícia Civil goiana que teriam pedido socorro, mas os funcionários não teriam prestado assistência.

Duas funcionárias acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). No entanto, os paramédicos apenas constataram a morte. Durante o atendimento dos socorristas as pacientes teriam pedido socorro e contado que estavam sendo mantidas em cárcere privado. A polícia também investiga a acusação.

O local atendia mulheres dependentes químicas e algumas com problemas psiquiátricos, com idades entre 15 e 87 anos. A clínica cobrava taxa mensal de R$1,2 mil à R$1,4 mil para os familiares dos internos. O espaço contava com gramado, área de convivência e campo de futebol, mas não tinham alvará da Vigilância Sanitária. Os funcionários também não tinham especialização em saúde.

Uma funcionária e a coordenadora da clínica foram presas e serão indiciadas por cárcere privado. Também são suspeitas de homicídio. Outra coordenadora e o dono do estabelecimento estão foragidos. Uma psicóloga e uma psiquiatra do local também estão sendo investigadas.

As famílias estão recebendo as pacientes de volta. A Delegacia de Polícia do município investiga o caso.


correiobraziliense
« Voltar
Próximo »

Nenhum comentário