Notícias:
latest

728x90

468x60

Idoso que sonha ser engenheiro fará Enem pela 3ª vez em RO: 'quero trabalhar com meu filho'

Perseverança e otimismo são qualidades essenciais para João Isaac, que enfrentará pela terceira vez a maratona das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em Porto Velho. Aos 62 anos, o idoso conta que é inspirado no filho arquiteto e por isso deseja cursar Engenharia Civil. "Quero trabalhar com o meu filho", revela.

Mecânico de formação e com mais de 30 anos de experiência, João Isaac conta que depois de conseguir ter formado o filho no curso de arquitetura, se apaixonou pelo ramo da construção civil.
Ele contou ao G1 que tentará pela terceira vez entrar na faculdade para cursar Engenharia Civil. (Foto: Jheniffer Núbia / G1)

João Isaac mora no Bairro Costa e Silva, em Porto Velho. Segundo ele, a paixão e vontade de fazer faculdade surgiu depois do filho dele construir o escritório de arquitetura na parte da frente do terreno, onde antes funcionava a oficina mecânica de João.

“Clebson, meu filho, é apaixonado pela arquitetura e é perfeccionista. Essa paixão dele me envolveu tanto que abri mão do espaço onde era minha oficina, aqui na frente de casa, para ele montar o escritório dele", revela.

Ao G1, o idoso contou que tentará pela terceira vez entrar na faculdade para cursar Engenharia Civil.
"Desde 2015 estou tentando entrar na faculdade para fazer engenharia”, conta João.
Aos 62 anos, João afirma sonhar estudar para depois trabalhar junto do filho no escritório.

“Ele pensa e eu faço! Seremos uma dupla incrível. Enquanto meu filho planeja os detalhes e toda a parte técnica, quero colocar a mão na massa. Já tenho curso técnicos como pedreiro e mestre de obra, mas agora quero o superior”, fala entusiasmado.
Idoso de 62 anos se prepara para o Enem 2017 (Foto: Jheniffer Núbia / G1)

Rotina de estudos
Para garantir a vaga em uma faculdade ou universidade, o idoso tem levantado às 5h há vários meses para poder estudar.
“Acordo bem cedo, faço meu café, pego minha iluminaria e meu livro e sento aqui para e estudo. Sei que é preciso esforço da minha parte para eu realizar o meu sonho”, fala.
No final de outubro, o idoso esteve no Aulão na Rede, realiado pela Rede Amazônica, para reforçar o conteúdo da prova.
“Ações assim, que contam com professores comentando e dando dicas para o Enem, além de ajudar a fixar o conteúdo, ainda dá uma elevada na autoestima. A tecnologia ajudou muito na evolução do conhecimento”, comenta.
* Jheniffer Núbia, estagiária do G1 Rondônia, sob a supervisão de Jonatas Boni.

Com: G1
« Voltar
Próximo »

Nenhum comentário