Notícias:
latest

728x90

468x60

Juiz Membro do TRE-PB faz reunião sobre cadastramento biométrico em Araruna

Nessa quinta-feira (09), o Juiz Antônio Carneiro de Paiva Júnior, Membro do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), esteve em Araruna, para impulsionar a reta final da Campanha do cadastramento de eleitores com coleta de dados biométricos.

Na reunião, foram reafirmadas práticas de parceria entre a Justiça Eleitoral e as Prefeituras das cidades que compreendem a 20ª Zona (Araruna, Cacimba de Dentro, Tacima e Riachão) com o intuito de avançar no processo de cadastramento biométrico, que finda no próximo dia 30 de novembro, e não será prorrogado.

Além do Dr Antonio Carneiro, a reunião foi prestigiada pelo Chefe de Cartório Eleitoral da 20ª Zona Eleitoral, Gilvan Guedes, vice-prefeito de Araruna, Iran Motos, secretários André Medeiros, Íkaro Morais e Jocimar Dias, prefeito de Tacima, Erivan Bezerra e servidores do Cartório Eleitoral de Araruna e Tacima.

Na ocasião, o vice prefeito Iran Motos ratificou a parceria da PMA com a Justiça Eleitoral nessa reta final da Campanha do cadastramento de eleitores com coleta de dados biométricos. "A gestão municipal está a disposição no que for necessário para impulsionar a realização do procedimento da Justiça Eleitoral na cidade", disse Iran Motos.

Para o doutor Antonio Carneiro, dos quatro municípios da 20ª ZE, a situação mais crítica é da cidade de Tacima, até o momento, apenas 70% dos eleitores fizeram a atualização biométrica. As cidades de Araruna, Cacimba de Dentro e Riachão já atingiram 79% do eleitorado.

O magistrado da Corte Eleitoral enfatizou durante sua fala, nas reuniões e em entrevistas concedidas, que o cadastramento biométrico é obrigatório e o eleitor que não realizar o seu cadastramento terá o título eleitoral cancelado, inclusive os eleitores cujo voto é facultativo, os maiores de 16 e menores de 18 anos, e os maiores de 70 anos, que não são obrigados a votar mas se deixarem de fazer o cadastramento biométrico perdem a condição de eleitor, e passam a sofrer as mesmas consequências dos demais, não poderá tomar posse em cargo público, fazer empréstimos financeiros, matricular-se em estabelecimento de ensino público, causando até suspensão de benefícios sociais, como SUS e bolsa família.

Por: ASCOM - PMA
« Voltar
Próximo »

Nenhum comentário