ARARUNA

João Pessoa registra quase 500 mm de chuvas em quatro dias

Em quatro dias, choveu em João Pessoa quase 500 milímetros, de acordo com os dados da Defesa Civil no município, divulgados neste domingo (16). De acordo com o coordenador do órgão, Noé Estrela, a precipitação registrada na cidade desde quinta-feira (13) foi de 460 milímetros, o maior volume concentrado em 96 horas dos últimos 30 anos.

No início da manhã, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta de perigo de chuva até a segunda-feira (17). O Centro de Monitoramento de Alertas e Desastres Naturais (Cemaden) também voltou a emitir um alerta de “risco alto” de chuvas neste domingo.

Em João Pessoa, as chuvas registradas entre a noite do sábado (16) e a manhã deste domingo causaram transtornos. A barreira do Castelo Branco voltou a deslizar e interditou uma faixa da BR-230, no sentido João Pessoa – Cabedelo. Também houve deslizamento na encosta da Rua Desportista José Eduardo de Holanda, no Cabo Branco, e uma árvore caiu na Rua Bancário Wagner Alexandrino Bezerra Japyassu, nos Bancários. As apresentações culturais na Casa da Pólvora e no Parque da Lagoa foram canceladas por causa do alerta.
Deslizamento de encosta no bairro do Cabo Branco, em João Pessoa — Foto: Antônio Vieira/TV Cabo Branco

O trecho da BR-230 onde houve o deslizamento foi interditado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) às 12h, para que a Defesa Civil faça a retirada do material oriundo da queda da barreira. O órgão orienta os motoristas a desviarem pela Avenida Pedro II.

Desde a quinta-feira, 64 famílias estão desabrigadas ou desalojadas, sendo assistidas pela Prefeitura de João Pessoa. Conforme Noé Estrela, estas famílias são abrigadas em espaços públicos, como escolas, ou em associações de bairros. Duas cozinhas comunitárias estão à disposição destas pessoas.
Árvore caiu no bairro dos Bancários, em João Pessoa — Foto: Walter Paparazzo/G1

“Pelo volume de chuvas, João Pessoa está conseguindo se portar de uma forma surpreendente. Registramos quedas de barreiras e árvores, alguns pontos de alagamento e estas famílias que moram em regiões ribeirinhas e que foram retiradas das casas, mas assim que a água baixar, vai ser avaliado se elas podem voltar às casas ou se vai ser preciso continuarem abrigadas e, em seguida, cadastradas em programas de habitação”, diz Noé.

A recomendação da Defesa Civil, em caso de chuvas, é de que a população evite sair de casa e, se sair, evitar andar próximo a muros em risco ou ficar embaixo de árvores. Também devem ser evitadas as calçadas com postes de alta tensão. O órgão recomenda aos motoristas que andem com faróis ligados e evitem poças de água.

G1

Nenhum comentário

Facebook Comments APPID

Publicidade: Vidraçaria Aluvidros

Redes