ARARUNA

Quase 1,3 mil acidentes com eletricidade em dias chuvosos já foram registrados na Paraíba só este ano

Chuva, raios e trovões. Em janeiro deste ano, um jovem de 19 anos morreu após ser atingido por um raio, em Massaranduba, no Agreste da Paraíba. Segundo informações da Polícia Civil, a vítima trabalhava em uma fazenda quando foi atingido pela rga elétrica.

Menos de um mês depois, um homem de 22 anos e um adolescente de 16 anos morreram após serem atingidos por um raio na zona rural de Cubati, no Seridó da Paraíba. De acordo com os familiares, as vítimas eram primos. Os jovens estavam debaixo de uma árvore, no Sítio Malhada do Angico, quando foram atingidos pelo raio.

Pelo menos 1.229 acidentes com eletricidade causados pela chuva foram registrados na Paraíba em 2020. O dado faz parte de um levantamento feito pela Energisa do dia 1º de janeiro ao 13 fevereiro deste ano. O balanço, divulgado essa semana, aponta que em 2019, 9.320 casos foram notificados.

De acordo com a concessionária, a água é um condutor natural de energia elétrica e, em contato com a eletricidade, pode causar choques e outros acidentes. A empresa ressalta ainda que as chuvas podem estar acompanhadas de ventos fortes e raios, que também podem danificar a rede de energia de casas e estabelecimentos.

A concessionária de energia elétrica, apresentou algumas dicas para evitar acidentes com eletricidade. É recomendável, evitar encostar em grades ou ficar debaixo de árvores quando estiver em ambientes externos enquanto estiver chovendo; verificar as instalações elétricas internas com regularidade; nas casas onde moram crianças, é preciso instalar protetores nas tomadas e não as deixar ligar ou desligar aparelhos eletrônicos; e evitar manusear aparelhos elétricos com as mãos molhadas ou pés descalços para prevenir o risco de choque; bem como, desligar o disjuntor da casa se ela estiver alagada.

Os raios são causados por uma descarga elétrica entre nuvens (normalmente cúmulo-nimbo) ou, em casos mais raros, entre uma nuvem e o solo, ocasionando relâmpagos e estrondosos trovões que podem assustar

A localização geográfica do Brasil confere ao país o título de campeão mundial de raios, já que ela permite a formação de nuvens convectivas em grande parte do ano.

De acordo com uma pesquisa, 50 milhões de raios caem sobre o país todos os anos, sendo que as estações com maior incidência são a primavera e o verão, pois, nesses períodos, o ar esquenta e fica mais úmido – e essa é uma combinação essencial para a formação das nuvens convectivas.

Severino Lopes
PB Agora

Nenhum comentário

Facebook Comments APPID

Publicidade: Vidraçaria Aluvidros

Redes